Conversa com Brenno

Brenno Ricardo, atleta do Circuito Brasileiro de Bodysurf e Handsurf, fala sobre o esporte, salvamento aquático e as expectativas para a temporada

Foto: Matheus Ribeiro

Aloha Brenno, conta pra gente como foi seu início no surfe de peito.

B: Comecei por causa do meu amigo guarda-vidas Rodrigo Batista, conheci ele na praia em Saquarema quando eu só tinha 9 anos, dali a amizade foi crescendo e todos os dias de plantão dele eu estava lá, até ver ele pegando onda de peito, foi dali que me amarrei no esporte, pedi pra ele me ensinar e foi assim meu início. Além disso, meu pai é pescador e desde pequeno eu acompanhava em praias, lagoas, então já estava no sangue gostar de praia.

Qual é o seu pico favorito em Saquarema? 

B: Sempre vou dizer que é a Laje da Manitiba, meu quintal de casa, meu segundo berço de aprendizado.

Quem acompanha você nas redes sociais percebe que você tem uma audiência bem engajada, que tem muita admiração por você. Você se vê como uma referência pra quem tá começando no esporte?

B: Isso é uma coisa que eu batalho diariamente pra alcançar, ser uma referência, alguém que possam admirar, não pra eu fazer o que bem entender, mas sim para passar o bem, ensinamentos que vivi, coisas que carrego pra minha vida, acrescentar ideias, formar sonhos, mostrar que é possível sim, basta ter força de vontade e correr atrás, esse é o exemplo que quero deixar, eu não ligo para a fama, mas se um dia Deus me proporcionar isso, vou usar para o bem e ajudar o máximo de pessoas que conseguir. Essa ideia eu carrego também com o Instituto FBJ (Família Bodysurf Jaconé), do qual sou o atual presidente, e desde já estou focado no objetivo!

Sobre isso, você criou o seu próprio Instituto de bodysurf. Como foi esse processo e o que te motivou?

B: Esse sonho existia em mim desde a época que o Rodrigo me passava seus ensinamentos, aquilo me encorajou e despertou a vontade de querer passar pra frente tudo que aprendi. Eu via pessoas desviando do caminho, indo pra coisas erradas e quando eu falava do esporte, as pessoas se interessavam e queriam ver o que era; quando viam, gostavam e queriam aprender, dali a vida mudava, o esporte muda vidas. Eu vi que através do esporte eu poderia fazer a diferença pras pessoas, o processo foi difícil, mas Deus enviou um anjo, Rodrigo Ferreira, e todos da atual equipe de direção do Instituto e fez isso acontecer, trabalho árduo porém teve vitória! 

Você se tornou guarda-vidas recentemente. Você enxerga o bodysurf como uma forma de preparação para o salvamento aquático?

B: Sim, ser guarda-vidas era um dos meus maiores sonhos e foi realizado esse ano e o bodysurf foi e é essencial, faz parte dos salvamentos. Ser bodysurfer é conhecer as ondas, as valas, tem que saber o mínimo do mar, quando você faz o curso para ser guarda-vidas vão avaliar essas habilidades, então ter a técnica dos dois é uma mão na roda, pois na maioria dos salvamentos usamos a onda ao nosso favor pra poder sair mais rápido do mar.

Como está a cabeça e a preparação em relação a esse retorno dos campeonatos?

B: Estou totalmente ansioso, treinando ainda mais forte do que nas temporadas anteriores, quero muito continuar sendo um bom exemplo para a rapaziada e honrar meus patrocinadores, acredito que esse ano vai ser de muitas vitórias.

Por falar nisso, são muitos patrocinadores, né?

B: Sim (risos), graças a Deus a galera apoia bastante, alguns são parcerias de foto, conteúdo, faço muita divulgação local aqui em Saquarema também, desde lanchonetes a marcas de roupa, sempre que posso gosto de usar minhas redes sociais pra fortalecer o trabalho dos amigos e das pessoas que também me fortalecem, acreditam e confiam em mim. Aproveitar pra agradecer então meus patrocinadores (risos), Kpaloa, Mundo Bodysurf, Beach Point, Influência Carioca, Gleyson Silva Fotos, Reis das Produções, Tamo Junto Jaconé, Gallo Lanches e o Instituto FBJ, principalmente a Kpaloa, que é meu patrocinador master.

Valeu Brenno, obrigado pela entrevista e pela nossa parceria. Aproveita e faz aquele jabá pra gente.

B: Com certeza, ser chamado pra equipe do Mundo Bodysurf e ser um dos primeiros atletas a fazer parte é algo que me motiva a estar aqui dando o meu máximo e o melhor possível pela marca, está aí uma parceria que poderá durar anos. Deixo aqui minha máxima gratidão a toda equipe, os campex tá vindo aí e minha meta é levar o nome da equipe pro topo!

Similar Posts

One Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.